estava habituada ao blogger, há anos, mas mudei para o worpress. antes detestava o ginásio, agora quando não vou faz-me falta. desenvolvi uma ética do trabalho, mesmo que não goste dele [dezembro, chega depressa] e faço-o o melhor que sei. antes, despedir-me-ia. agora preciso dele, embora seja bom descobrir [ok, ter a certeza] que nunca vou ser daquelas pessoas que trabalha apenas pelo dinheiro. sempre estive bem sozinha, mas agora preciso dele e detesto sentir falta de nós os dois. preciso delas também, e que falta me fazem.  preocupava-me mais com o que os outros pensavam, guardava relações sem razão aparente, apenas pelo conforto de um número vasto de amigos, conhecidos, ex-alguma-coisa. aprendi a valorizar a qualidade e não a qualidade. é libertador, ter apenas aqueles de quem preciso mesmo. adormecer com a mente mais tranquila, beber um copo de vinho ao chegar a casa, com as pernas enroladas debaixo do corpo, sapatos atirados para um canto, a mala para outro, o braço apoiado na almofada do sofá, ouvir e contar histórias.

respirar fundo e sentir que se subiu mais um degrau [não vou dizer “na escada da vida” porque é um cliché demasiado óbvio, mas enfim, dá para perceber a ideia…]