o corpo, em jeito de recusa, desencadeou uma monumental crise de alergias que me manteve acordada a noite inteira. à chegada, depois de duas semanas fora, há despedimentos de uns, entrada de outros, acidentes de mais alguns, tudo mudou. a revista parada na gráfica à espera que eu fale com uma pessoa e reescreva um artigo. vale-me o público.pt, a escrita da inês nadais:

Jamie Livingston morreu num hospital de Nova Iorque no dia em que fazia 41 anos e é possível que nos últimos segundos antes do fim tenha visto o que nós estamos a ver agora: os últimos 18 anos da vida dele compactados em 6.697 fotografias (as aulas, o fim do curso, as Torres Gémeas, o dia em que Jimmy Carter perdeu as eleições, a viagem ao Peru, o bolo do 26º aniversário, o jogo dos Mets, uma tarde na piscina, um tacho com pipocas, a sala de montagem, o Natal de 1993, a operação, a cabeça sem cabelo, o casamento, os tubos, o hospital, e depois nada).

aqui. e claro que a foto é dele. uma de muitas. vale tanto a pena. é que as segundas nunca são fáceis.