a quem encontrar a árvore de onde caem bons artigos, daqueles que enchem quatro páginas de revista, daqueles que nos orgulhamos de assinar, mesmo que sejam sobre temas que não são propriamente our cup of tea [as expressões inglesas são as melhores]: oferece-se recompensa. ou seja, ofereço-me eu, sem ir parar ao hospício por pressão de escrever meia revista em quatro dias. ofereço a minha sanidade. vá. vá lá. é que da maneira como as coisas andam por aqui, só mesmo se o trabalho brotar do chão é que farei tudo o que eles querem. não sei, mas este chão de uma espécie de contraplacado a imitar madeira, ou lá o que é, não me parece muito fértil.