tempo. tempo. tempo. tempo. tempo. tempo. tempo. tempo. tempo. tempo. tempo. tempo. tempo. tempo. tempo. tempo. tempo. tempo. tempo. tempo. tempo. tempo. tempo. tempo. tempo. tempo. tempo. tempo. tempo. tempo. tempo. tempo. tempo. tempo. tempo. tempo. tempo. tempo. tempo. tempo. tempo. tempo. tempo. tempo. tempo. tempo. tempo. tempo. tempo. tempo. tempo. tempo. tempo. tempo. tempo. tempo. tempo. tempo. tempo. tempo.

[agora a palavra deixou de fazer sentido. não faz mal, é como eu. e a cintura com a crise.]