ontem deparei-me pela primeira vez, de frente, com o problema da bagagem emocional. já o tinha entrevisto antes, no passado, mas nunca dei muita importância, até porque o meu passado é feito de relações que eu sabia terem prazo de validade. hoje não quero prazos em nós, mas esbarro com quem o desiludiu no passado, com quem o fez recomeçar do nada, e compreendo, mas como é que o faço ver que eu não sou o passado dele, não sou como o passado dele, e que isto me assusta mais a mim do que a ele?

detesto a segunda-feira. faz-me sempre pensar em coisas que se calhar devia deixar estarem quietinhas debaixo dos lençóis. que, por acaso, era onde eu devia estar agora…