estou esperançada, pela primeira vez em três meses – sim, contei. vou trocar de trabalho [não foi propriamente pelo processo mais pacífico, mas já acalmou], o que me deixa imensamente feliz. nervosa como tudo, com menos dinheiro [vou receber menos nos primeiros seis meses portanto nada de me acusarem de capitalista] mas esperançada. esperançosa. esperançando, penso se será o facto de ser novinha, or so they say, que me impulsiona à procura de algo melhor ou se serei sempre assim, incapaz de me conformar com algo que me faz soltar uma sonora asneira todas as manhãs úteis do último ano. estou à espera que corra bem, sim, mas tenho a perfeita noção que a partir da próxima semana não há margem para erros. mas estou contente, estou. espreitando uma vida nova. é tão bom.

por outro lado, se o trabalho poderá começar a correr bem, a vida amorosa anda a tornar-se amarga. enfim, uma em duas já não é mau.

soundtrack do dia: jill scott.