… aos meus filhos, sobrinhos, vizinhos pequenos, e por aí em diante, abrangendo esta categoria a imensidão de criaturinhas de curta estatura e breve idade que me passarão pelas mãos:

1) é bem capaz de não existir um pai natal (vá, fuzilem-me);

2) é também bem capaz de não existir um deus (minúscula e a admissão da sua possível não existência são bem capazes de me garantir a excomunhão), portanto fiem-se na… em vocês, pronto;

3) não querer ir para a faculdade é admissível mas vou precisar de ser convencida, ou subornada;

4) piercings e tatuagens – se quiserem mesmo, mas entre pedirem-me e fazerem realmente esperam umas semanas a ver se vos passa a tara. se permanecer, vou com vocês (ai que vou ter o eduardo sá à perna);

5) não me parece que o eduardo sá seja de confiança (pronto, agora lembrei-me desta);

6) a terapia é capaz de ser uma coisa bem catita porque eu já estou um bocadinho avariada e daqui não pode sair grande conselho, não, o que provavelmente vos vai avariar também;

7) se algum de vocês me sair um emo, eu vou amar-vos na mesma, mas…;

8) hei-de lembrar-me de mais mas agora vou para casa, namorar e ter uma vida, após ter estoirado os últimos cartuchos do dia laboral em procrastinações e devaneios – viram aquilo do gato no frigorífico?! man…