“mas então porque é que não vem cá mais vezes?”, pergunta-me a senhora do ginásio por telefone. e quero muito cantarolar o meu mantra em relação a estas coisas: “vão sem mim que eu vou lá ter.”

(hoje só dou para isto.)