de cada vez que passo umas horas em tua casa e descanso o negativismo com as danças do S e a tua energia. de cada vez que oiço o teu riso com maiúscula, ou quando me recordo dos minutos alegremente perdidos em parapeitos de sol. sou sempre transportada para um estado melhor. já lá vão uns anitos nossos, teus e meus. mas os teus 34 são apenas o começo; o melhor está sempre a suceder-te e ainda bem. eu acompanho-te e sigo o balão de ar quente que és, sempre a subir. até já, ruindade!