no fundo, tudo – todas as decisões difíceis, os desvios e corridas – se resume a um momento: acordar de manhã e ver no espelho o reflexo daquilo que queremos ser.

foto: peter jensen outono/inverno 2011. perfeito.