então é assim: aqui na agência só se ouvem risadas escondidas pelos monitores. a causa é esta. eu já o li de fio a pavio, tal como se lê um livro. e não sei quem é esta livreira, mas só me apetece pagar-lhe uma jantarada e uma noite de copos. eu adoro isto. é sexta-feira, está sol, e umas risadas vêm mesmo a calhar. vá, vão lá.

– “Vendem livros?”

- Já está. Fomos descobertos.

——

– “O volume dois é a continuação do volume um?”

– Agarrem-me, por favor.

——

O livro “Veronika Decide Morrer” (do Paulo Coelho) segundo freguesa trágica: Tem aquele livro “A Verónica Matou-se”?

——

“A única coisa que sei é que a tampa do livro é amarela.”

Num workshop de escrita criativa isto até era capaz de funcionar bem. Reconheço o potencial.