(penamacor)

fui passar o fim-de-semana a pedrógão de são pedro, à festa da aldeia.

não sei bem como, mas voltei meio noiva de um francês chamado mathieu, de toulouse, que vende lareiras e salamandras (espero eu que tenha sido isso que ele disse), tem uma mãe espanhola e cujo autor favorito é marc levy.

e esse pedido está registado em vídeo. para eu nunca, nunca mais me esquecer.

pena não ter gravado o incidente das nove da manhã, com ele a gritar para a varanda onde estávamos “chéri! je suis amoureux!!!!” e a avó da minha amiga muito intrigada “que raio está aquele ali a dizer?”.

“nada, dona lurdes. vou voltar para a cama.”