depois do que foi a troca de emails mais surreal do século (ontem devia sinceramente ficar marcado nos calendários), vou de férias uma semana, trabalhar na tese à beira-mar e mandar beijos ao jarvis cocker em paredes de coura.

detesto pessoas que na equação “conhecimento empírico sobre a pessoa X, através de convivência diária com ela” VS “o que me dizem da pessoa X, sem sequer lhe dizer quem foi que disse o quê, retirando assim todo o direito de contraditório ou reposição da verdade à pessoa X”, escolhem a segunda hipótese.

hey, whatever floats your boat! eu? fora desse drama, que a minha vida não se vive sozinha e há muito onde gastar energia positiva :)