«O ex-deputado do PSD, actualmente coordenador para a Educação da Freguesia de Alcântara, recusa falar da sua vida privada mas garante que nunca agrediu ninguém. O casal, que se casou a 31 de Janeiro, está já separado».

Neste ponto da leitura voltei a parar. Separado? Mas os gays, que travaram uma luta tão grande, tão longa e tão dura para poderem casar-se, separam-se afinal com a mesma facilidade dos outros casais? Não seria normal que, pelo menos nos primeiros tempos de vigência da nova lei, procurassem ser exemplares, até para provarem aos opositores que as suas convicções eram fortes e sua luta era justa?

josé antónio saraiva, se calhar a luta por casarem e poderem fazer o que os casais heterossexuais fazem, passa também pelas separações – tal como em tudo, homem+mulher, mulher+mulher, homem+homem, é a possibilidade. o poder da possibilidade. de poderem casar. e descasar. e discutir. ora que diabos.

Mas a leitura de mais pormenores sobre o ‘casal’ ajuda a lançar alguma luz sobre a história. O ainda marido (ou mulher?) de Nuno de Sá é um massagista de nacionalidade venezuelana, de nome Carlos Eduardo Yanez Marcano (e não Maceno como dizia o DN), com menos 10 anos do que ele. Perante este bilhete de identidade, compreendem-se melhor as zangas, as agressões – e finalmente a lavagem de roupa suja na praça pública.

uau, isso é que foi clarificar o assunto. agora já não sei se o problema é o casamento entre dois homens, ou o facto de este ser mais ou menos o equivalente a um homem heterossexual casar com uma cabeleireira brasileira 20 anos mais nova, ou algo do género. pergunto-me o que achará o caro saraiva disto.

(sem desprimor às cabeleireiras brasileiras, atenção!)

Claro que dois homens podem viver juntos – sejam irmãos, amigos, companheiros ou sócios em qualquer coisa. Como duas mulheres podem viver juntas, por variadíssimas razões. E é justo que as pessoas que vivem juntas tenham certos direitos em comum. Mas, para isso, não é necessário pôr em causa as nossas referências nem baralhar os nossos pobres espíritos.

cada um tem o direito à sua opinião, ok. mas não acho que os nossos espíritos sejam tão pobres como isso… sobre o espírito do JAS, já não me posso pronunciar. por acaso, acho que é mesmo pobre. mas hey, é só a minha opinião.

aqui.