adorei. e é a minha sorte, porque vou ter de lá voltar com duas ou três pessoas! era adolescente quando li por acaso um livro da taschen sobre ela, devia ter uns 12, 13 anos, e nunca mais recuperei da primeira impressão – uma admiração tremenda por uma personalidade maior que a vida de tantas outras.

aqui.

fotos do blackberry, logo, uma grande treta.