daqui.

admissão de culpa: no último… ano e meio, sensivelmente, passo a vida a comparar-me com este e aquela, que tem isto e aquilo, mais e menos. e as comparações têm inevitavelmente o resultado de eu menorizar aquilo que sou em relação aos outros e outras. saio sempre a perder. coloco-me sempre numa posição inferior. é uma idiotice absurda e tem de parar, porque me mata a auto-estima que estou a tentar (re)construir, como quando, em criança, colocava feijões em algodão e via depois brotar uma nesga de verde.

encarno o cúmulo do ridículo, por vezes. mas admitir que tenho um problema não é o primeiro passo para o resolver, ou algo do género? hmmm? onde anda a minha filosofia de bolso? :)